quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Pins de Natal

Os materiais são de recuperação :
  • Tampinhas de garrafas, em plástico;
  • Pedacinhos de papel (cartolina);
  • Cola e canetas de feltro (marcador ou borrona)
A técnica é simples: Recorte, pintura, colagem ... e o segredo está na CRIATIVIDADE de CADA UM.

O Natal


Hoje é dia de Natal.
É quando nasce Jesus.
Ficamos todos felizes
A ver o pinheiro com luz.

A estrela do pinheiro
Está muito lá em cima.
Foi a mãe que a colocou,
Com ajuda da escadinha.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Natal em poema II

Hoje é noite de alegria,
Hoje é Noite de Natal.
Sem faltar a família
A animar como tal.
André

É a Noite de Natal.
Que bonito, que alegria!
Põe um cheiro de canela
Nos pratinhos d’ aletria.
Márcia

Natal é festa da família,
Reunida para jantar.
Lembram a vinda de Jesus,
No Natal que está a chegar.
Diana

Batatas com bacalhau
É menu de consoada.
Quem não gostar deste prato,
Bem fica sem comer nada.
Nuno

Já é chegado o Natal
E é tempo de alegria.
Haja amor, felicidade,
P’ra não acabar este dia!
Inês

Nesta manhã de Natal,
Vou abrir os meus presentes.
Este é o dia ideal,
P’ra ver crianças contentes!
Margarida

Chegou a Noite de Natal.
O pinheiro está a brilhar.
Neste dia especial,
Todos podemos brincar.
Verónica

Esta Noite de Natal
Deixa-nos, a todos, contentes.
Há um brilho especial
Nos desejos e presentes.
Simão Pedro

Bolas, fitas, muitas cores,
Com presentes a animar.
Pinheirinho e flores,
É Natal, vamos amar.
Joana

Neste Dia de Natal,
Ao procurar meu presente,
Vi no alto do pinheiro,
O brilho da estrela cadente.
Catarina

É Dia de Natal
E todos ficam felizes
Alguns ficam um pouco mais.
“O Natal é dos petizes!”
João Miguel

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Natal em poema

O Natal é uma festa
Da família reunida.
Com amor e alegria,
Se faz uma festa querida.
David Alexandre

Hoje é Noite de Natal.
Vamos todos festejar,
Com rabanadas e aletria,
Até a festa acabar.
João Carlos

Nesta ceia de Natal
A família, reunimos.
Para estarmos mais felizes,
Trocamos prendas e mimos.
Simão Vilaça

É Natal!... É Natal!
Gritam criancinhas
Que não podem esperar
Por suas prendinhas.
Pedro Coelho

O Natal está a chegar,
Alguém toca à campainha.
O Pai Natal vai entrar,
Vem trazer nossa prendinha.
Joana Patrícia

Feliz Natal

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

D. João IV e Restauração

Cronologia real:

1640 - 1656
D. João IV "O Restaurador"
(19 Março 1604 V. Viçosa-6 Novembro 1656 Lisboa)Casou com Dona Luísa Francisca de Gusmão


Um grupo de fidalgos portugueses começou a conspirar quando o domínio espanhol em Portugal durava havia já 60 anos.
João Pinto Ribeiro era agente dos negócios do Duque de Bragança (D. João) e esteve presente na reunião de 12 de Outubro de 1640, onde foi decidido que Pedro de Mendonça teria o encargo de ir participar ao duque a resolução que se tomara de avançar com o golpe de estado. D. João acedeu, aconselhado por João Pinto Ribeiro, e autorizou D. Miguel de Almeida e Pedro de Mendonça a usarem o seu nome para convocar os conjurados.

Porquê D João?

D João (Duque de Bragança) era trineto de D Manuel I, por sua avó D. Catarina de Bragança (por isso, de sangue real e tão descendente de reis portugueses como o monarca espanhol que detinha o trono).

A casa de Bragança era uma família muito abastada e poderosa, mantinha coas relações com as casas reais europeias e descendia de um dos heróis da história de Portugal - D. Nuno Álvares Pereira